Termina em bate-boca e agressões a sessão especial que deveria debater a situação dos servidores em Cabedelo

 
Terminou em tumulto e agressões a sessão especial da Câmara Municipal de Cabedelo, convocada pelo vereador Eudes e realizada no último dia 27 de agosto, para discutir os problemas vivenciados pelos servidores municipais da cidade. 
A sessão foi marcada por um embate entre partidários do prefeito Leto Viana (Leia-se comissionados convocados para comparecer no local) e representantes do sindicato e da oposição cabedelense. O detalhe foi a presença do deputado Anísio Maia, convidado pelo vereador Eudes Santos (PP), desafeto do prefeito na cidade. Durante os debates, houve bate boca entre Leto e o deputado Anísio Maia e a sessão descambou para um grande tumulto o que obrigou o Presidente Lucas Santino a encerrar a mesma antes da conclusão dos trabalhos.
Em entrevista nas rádios da capital, o deputado Anísio e o vereador Eudes acusaram o prefeito de truculência, enquanto Leto questionou a abordagem que o parlamentar do PT fez de sua gestão, num ambiente estranho ao seu trabalho: “Ele devia questionar o aumento de 1% dado pelo governador (Ricardo Coutinho), seu aliado.” Enfatizou Leto.
Sindicalistas apresentaram uma lista de 40 servidores que, supostamente, estariam recebendo salários de R$ 10.000,00 (dez mil reais) e alguns sem prestarem serviços no município. A lista foi rechaçada pela gestão e o acirramento foi inevitável.
Falando por último, o Prefeito Leto ironizou e desqualificou os discursos e intervenções dos oradores que os antecederam, entre eles, Marcos Patricio que teria indagado para onde estava indo o dinheiro do município. “É por isso que você não passa de 2.000 (dois mil) votos em Cabedelo”, respondeu Leto a Patrício.
Anísio Maia provocou o Prefeito sugerindo a exoneração dos cargos comissionados de R$ 10 mil por mês, denunciados pelos sindicalistas e que, juntos, levam um milhão mensalmente dos cofres da prefeitura. Furioso e visivelmente descontrolado, Leto começou agredir verbalmente todo mundo como se fosse o dono daquela casa legislativa, onde já teve seis mandatos. E, demonstrando total falta de equilíbrio, o mesmo mandou o deputado Anísio (PT) e o Presidente da Casa, Vereador Lucas Santino (PHS) se calarem, o que gerou o encerramento da sessão e o inicio do tumulto.
Ainda de acordo com o deputado e o vereador Eudes, o secretário de comunicação Fabricio Magno, em vez de pacificar contribuiu ainda mais para o acirramento do tumulto, partindo para cima do deputado na tentativa de agredi-lo. Aí começou a baixaria no plenário da casa com bate boca, empurra-empurra, gritos, agressões e insultos de ambos os lados. A segurança foi acionada e a sessão encerrada sem resultado algum.
“O prefeito não respeita ninguém na cidade e tão pouco o contraditório, são grandes as barbaridades cometidas pela gestão e o gestor que a administra como se fosse uma bodega”, declarou o vereador Eudes. Os servidores da prefeitura de Cabedelo e sindicalistas saíram revoltados, indignados e escoltados por seguranças temendo retaliações por parte dos seguidores integrantes da claque mantadas pelos comissionados do prefeito.
Já o deputado estadual Anísio Maia prometeu denunciar a gestão e os desmandos de ‘Leto Viana’ na tribuna da Assembleia Legislativa da Paraíba. E os vereadores de oposição vão levar mais uma dezena de denúncias ao ministério público “para que sejam tomadas as devidas providencias contra a gestão que até agora os recursos só fazem entra nos cofres da cidade e ninguém sabe o destino para aonde estão indo, a não ser o prefeito e sua família” finalizou Eudes de Souza.
Secretário nega agressão – Acusado de agressão e tentativa de intimidação, o secretário Fabrício Magno (Comunicação), negou que tenha tentado agredir o deputado Anísio, como afirmou o vereador Eudes na imprensa e nas redes sociais: “Eu fui em direção ao prefeito na tribuna e o segurança da Câmara me impediu de forma truculenta de fazer o meu trabalho, que é assessorar o prefeito. Em momento algum me dirigi ao deputado Anísio Maia, tampouco tentei agredi-lo. As imagens são bem claras quanto a isso”, afirmou Fabrício.
A Prefeitura, através da Secom divulgou nota rebatendo as acusações de agressividade por parte do prefeito Leto. Confira nota na íntegra:
“A Secretaria de Comunicação de Cabedelo (Secom) vem a público esclarecer alguns fatos que teriam ocorrido durante sessão especial na Câmara de Vereadores de Cabedelo na noite da última quinta-feira (27). Cabe-nos informar que nenhum integrante da gestão municipal agrediu ou faltou com respeito a parlamentares ou população presente à sessão do parlamento municipal.
O prefeito do município, Leto Viana, foi convidado a participar de uma sessão especial na Câmara de Vereadores para debater a situação dos servidores públicos municipais. Antes do início dos trabalhos, o vereador Eudes Santos (PP), tentou impedir o acesso da equipe de jornalistas da Secom e de outros veículos à Casa do Povo para cumprir a sua função de cobrir os atos da gestão.
Foi o vereador Lucas Santino (PHS), presidente da Casa, quem liberou a presença dos jornalistas. Essa já foi uma tentativa clara de calar a imprensa e impedir que a população tivesse conhecimento do que iria acontecer.
Também compareceu ao debate o deputado estadual Anísio Maia (PT), que aproveitou o espaço para tumultuar o debate com intervenções e provocações. Nem mesmo a fala do prefeito e dos secretários da gestão municipal foi respeitada. Entendemos que aquele é um espaço para que sejam travados debates, mas sem desrespeitar ou cercear o direito a fala de nenhum dos participantes.
Leto Viana tentou levar as explicações, mas foi impedido por um movimento orquestrado pelos parlamentares. Toda essa situação gerou um princípio de tumulto, fazendo com o que o presidente da Câmara desse por encerrada a sessão. Em momento algum, como foi divulgado pelo vereador Eudes, o secretário de Comunicação, Fabrício Magno, agrediu o deputado Anísio Maia. Na verdade, o secretário foi empurrado pelo segurança da Casa ao tentar ir ao encontro do prefeito, que usava a tribuna.
Acreditamos no diálogo como única forma de se solucionar impasses. Não cerceamos o direito a voz de quem quer que seja e estamos dispostos sempre a levar informações e explicações, pois isso faz parte da nossa gestão, que tem como princípio fundamental a prestação de contas e a transparência. Mesmo com esse incidente não deixaremos de cumprir o nosso papel e de irmos à Câmara quantas vezes formos convidados, pois temos respeito àquele poder e ao povo de Cabedelo.” Afirma a Nota da Secom – Cabedelo.
Edição de Texto: Aguinaldo Silva com apoio de Lamartine do Vale, do Paraíba Urgente.
Fotos: Aguinaldo Silva e Internet

Vídeos: Aguinaldo Silva e Redes Sociais.
Compartilhe este artigo :

Gostou do que leu? Comente. Compartilhe. Divulgue

RENASCER EM NOTÍCIA

Minha foto

AGUINALDO SILVA - Radialista Profissional - 2.913 DRT-PB, 46 anos, servidor publico, natural de Mulungú-PB, radicado em Cabedelo-PB desde 1988, divorciado, pai de um casal de filho, produtor e ativista cultural, socialista por convicção, militante social, cultural e político em Cabedelo,  blogueiro, escreve no site www.cabedelonarede.com.br e no blog www.renasceremnoticia.blogspot.com
Ama os seres humanos e detesta a desigualdade social. "Se voce é capáz de se indignar com o sofrimento de seu semelhante, somos amigos" Frase de Che Guevara que tem como moldura em sua vida.
Atualmente trabalha na Casa da Cidadania de Cabedelo e busca ativar o movimento cultural do Renascer e interligar em rede, o terceiro setor de Cabedelo.
 
Site: Cabedelo Na Rede : Click aqui Copyright © 2011. Renascer em Notícia - Editado por Rhicardho
Proudly powered by Blogger