DESTAQUE:
print this page
Última Postagem:

Oposições de Cabedelo se reúnem para unificar discurso e construir estratégias contra o que chamam de “desmandos de Leto”

Eudes, Fernando Sobrinho, Marcos Patricio, Welington Brito, Zé Régis, oito ex-vereadores e sete partidos, estiveram presentes na reunião.
Afirmando ser oposição ao governo Leto Viana, reuniram-se na última quarta-feira (25/03), representantes de vários partidos (PDT, PSB, PSL, PSC, PNB, PSOL e PCdoB), sete ex-vereadores da cidade (Beninha, Brito, Ciso, Danilo Figueiredo, Fernando Macedo, Lula Moreira e Roberto de Melo), os atuais vereadores (Eudes e Fernando Sobrinhos), lideranças políticas, sociais, culturais, sindicais e comunitárias (Marcos Patricio, Wellington Brito, Zé Régis, Betinho Miranda, Igoberg, Ricardo Tabosa, Aguinaldo Silva, Binha, Flaudemes Macedo, o advogado Luizito, o secretário estadual da pesca, Sales Dantas, entre outros) com objetivos de unificar o discurso e criarem estratégias de enfrentamento ao que chamam de “desmandos de Leto”.
Segundo os articuladores da reunião (Manoel Neto, Joely, Iron e Milton Calá) a idéia é organizar o Movimento das Oposições Municipal em Cabedelo, constituir a unidade, formar grupos de trabalhos – GT, instituir o Núcleo de Gestão política, jornalístico e de redes sociais.
Em nome do grupo, as lideranças deixaram de lado as divergências e prometem caminharem juntas até a eleição de 2016. Uma pesquisa será feita no final de 2015, para encontrar o melhor nome do grupo para enfrentar Leto nas urnas.
Para Manoel Fernandes, um dos articuladores da reunião, os objetivos desse primeiro encontro foram alcançados. Desprendimento é a palavra que define o grupo. E essa ação planejada estrategicamente, discutida e encaminhada coletivamente, reforça a oposição e a projeta para o próximo pleito. O grupo se encontrará nos próximos 15 dias para montar sua agenda de atividades (Click e ouça a entrevista com Manoel Fernandes).
O secretário executivo estadual da pesca, Sales Dantas, representando o PSB estadual, esteve na reunião e viu algo positivo na mesma, viu uma oposição querendo se articular para de forma unificada, reproduzir um sentimento de mudanças em Cabedelo (click e ouça o que disse o secretário Sales Dantas).

Texto/foto/reportagem: Aguinaldo Silva.

Servidores da educação de Cabedelo continuam em greve, acusam o prefeito de encerrar as negociações e afirmam que termo do MP é retrocesso.

 Na última Terça-feira (24/03), após reunião e assinatura de um Termo de Audiência  (TA) no Ministério Público , os servidores da saúde se reuniram em assembléia e decidiram encerrar o movimento grevista .
Ouvido pela reportagem do Cabedelo na Rede, o sindicalista Sandro do SINDCAB, informou que a greve dos servidores da saúde e da educação de Cabedelo, teria sido encerrada por enxergarem avanços nas negociações com a prefeitura no MP e que, a assembléia dos professores, marcada para aquela tarde, apenas ratificaria as decisões já tomadas pelos servidores da saúde (Clique aqui e ouça o que disse Sandro).
A informação foi reformada pelo também sindicalista Manoel Vieira. Segundo ele, os professores não viram avanços nas negociações e decidiram continuar em greve até que o prefeito sinaliza com algo concreto.
Segundo Manoel, o prefeito virou as costas para a educação e não quer mais conversar com o movimento grevista.  “Ele quer nos vencer pelo cansaço e é ruim quando o gestor toma essa atitude, pois se trata de crianças que estão fora da sala de aula. Quando o prefeito vira as costas para um movimento legítimo como o nosso, vira também para a educação” afirmou.
Para o sindicalista não houve acordo no MP, o que aconteceu foi a assinatura de um Termo de Audiência, onde o gestor se compromete com algumas coisas e outras não.  “No geral, o termo assinado no MP representa um retrocesso! Com isso, alguns pontos onde já tínhamos avançado retrocederam e a categoria decidiu pela manutenção da greve, por tempo indeterminado”, informou ele.
“Querem nos vencer pelo cansaço e pelo cansaço não vão nos vencer, porque não estamos fazendo um movimento irresponsável. Queremos sim voltar a trabalhar! Porem, com algo construído como resultado da greve! Afirmou.
Os grevistas estão visitando as escolas nas comunidades em busca do apoio da população e já agendaram uma nova assembléia para a próxima terça-feira (31/03), as 09:00hs, onde farão nova avaliação.
“Só quem acaba com a greve é a assembléia, mediante os avanços das negociações e no momento o diálogo foi interrompido pelo prefeito, nem negociar eles querem mais!” Protestou (Clique aqui e ouça o que disse o sindicalista Manoel Vieira).
A reportagem procurou ouvir a secretária municipal de educação, mas foi informado que a mesma encontrava em reunião com o prefeito e não poderia atender a equipe e nem nos ligou ate o fechamento da matéria.
Texto e reportagem: Aguinaldo Silva
Fotos: Moiseis.

Após audiência no MP Sindicato e Prefeitura de Cabedelo chegam a um acordo e servidores da educação e saúde encerram a greve

Após uma audiência realizada na sede do Ministério Publico na tarde desta segunda-feira (23/03), foi firmado um acordo e assinado um termo de audiência, entre a prefeitura de Cabedelo e o SINDCAB, representante das categorias em greve, para o encerramento do movimento e a volta ao trabalho, dos servidores da educação e saúde do município.
Na manha desta terça-feira (24), reunidos no Cabedelo Clube, as duas categorias foram informadas dos termos do acordo firmado no MP e decidiram pala paralisação do movimento grevista.
Os servidores da educação e saúde de Cabedelo, em greve desde o último dia 06 do corrente mês, voltam as suas atividades normais nesta quarta-feira (24/03) e aguardam o cumprimento do acordo firmado pelo sindicato da categoria e a prefeitura, no Ministério Publico.
Os servidores reivindicavam entre outras coisas, a efetivação dos PCCRs e a equiparação com o piso nacional na conformidade da lei aprovada e retroativo a 1º de janeiro.
Clique aqui e ouça a entrevista de Sandro do SINDICAB ao reporte Aguinaldo Silva para o Cabedelo na Rede.
Texto: Aguinaldo Silva

Fotos: Arquivo dos servidores. 

Prefeitura de Cabedelo anuncia obra de urbanização e paisagismo na entrada do bairro de Camalaú

A Prefeitura Municipal de Cabedelo, anunciou que está iniciando as obras de urbanização e paisagismo no trecho que ladeia a Avenida Pastor José Alves de Oliveira (BR 230), entre as entradas das ruas São Sebastião (em frente ao Centro Integrado Imaculada Conceição) e Juarez Távora (nas proximidades da Praça Padre Cícero), no bairro de Camalaú.
Segundo Secom-Cabedelo, o projeto foi apresentado à comunidade através de imagens ilustrativas, e vai ser composto de áreas de passeio público, ciclovia, abrigos de passageiros padronizados e espaços verdes e de convivência múltipla.
Para a gestão municipal, revitalizar locais da cidade e melhorar o espaço urbano tem sido uma das suas preocupações. “Queremos oferecer o melhor para nossa população. Este espaço tem o objetivo de deixar nossa cidade ainda mais bonita com o paisagismo, mas também permitir a mobilidade e a prática esportiva do povo de Cabedelo”, resumiu o prefeito Leto Viana.
Segundo o secretário Municipal de Habitação, Rodrigo Martinez, responsável pela equipe de projetos da Prefeitura, a obra faz parte da primeira etapa do calendário de ações urbanísticas do Município.
Fabinho Oliveira, responsável pelo setor operacional de obras da Secretaria de Infraestrutura, a obra será um modelo de urbanização que a atual gestão planeja para executar em diversas áreas do Município. "Essa obra certamente vai oferecer uma melhor qualidade de vida aos que desfrutam daquele espaço. Convém salientar que, além da mão de obra ser totalmente formada pelos moradores locais, os materiais utilizados são de blocos intertravados, que ajudam na drenagem de águas pluviais e podem ser removidos sem quaisquer prejuízos para a Prefeitura", ressaltou.
Prazo de execução - A Prefeitura já iniciou a preparação do terreno, assim como a limpeza das galerias e que nos próximos dias serão retirados os entulhos, materiais e veículos que são abandonados nas vias públicas sem autorização do Município. E em seguida, a Seinfra dará início às obras que terão um prazo de 90 dias para conclusão.
Edição de texto: Aguinaldo Silva

Texto, Informações e Foto: Secom Cabedelo

Secretário Sales Dantas diz que Terminal Pesqueiro de Cabedelo-PB é um elefante branco.

O Terminal Pesqueiro Público de Cabedelo (TPP), na Grande João Pessoa, está sendo subutilizado e se trata de um elefante branco. Pelo menos essa é a opinião do secretário executivo do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca da Paraíba, Sales Dantas. Para ele, o equipamento que foi construído e inaugurado pelo Ministério da Pesca e Aquicultura nunca funcionou efetivamente.
“Não é competência do Ministério da Pesca gerenciar esse tipo de atividade. Esse órgão não tem vocação mercantil. Nós identificados que o ideal seria que ele fosse administrado por uma cooperativa de mercado, pelo Governo do Estado ou pela Conab [Companhia Nacional de Abastecimento], que tem em sua constituição uma vocação empresaria”, aconselhou Dantas.
Parado há três anos, o polo pesqueiro da PB deixa de faturar R$ 150 milhões.
Inaugurado em 2010, o terminal, com 10 mil metros quadrados, recebeu mais de R$ 11 milhões em investimentos em parceria entre a União e o Governo do Estado. Atualmente, o TTP está em processo de reforma e adequação em manutenção de aparelhos. O investimento da reforma feito em 2013 foi de 3,2 milhões, segundo o superintendente federal da Pesca e Aquicultura na Paraíba, Jerônimo Júnior.
O presidente da Federação dos Pescadores da Paraíba, Zélio da Silva Nascimento, também acha que o TTP não teve muita utilidade para os pescadores. “A intenção de quem adquiriu foi muito boa, mas até aqui não funcionou ainda. Recentemente, a fábrica de gelo estava funcionando, vendendo por um preço bom, mas a Vigilância Sanitária fechou e começou a reforma. Mas ela tem câmeras frigoríficas muito boas, seria muito prático para o pescador”, relatou.
Sales Dantas explicou que, no local, o pescador teria todo o apoio necessário, desde a compra do gelo a um preço mais baixo até o beneficiamento do peixe. Dentro da estrutura do TTP também seria comercializado o diesel subsidiado. “Estamos tentando com o Ministério da Pesca que esse equipamento possa ser um grande viabilizador da pesca marítima na Paraíba. Hoje posso dizer que ele está funcionando com 10% da capacidade. Considero um equipamento de grande importâancia para a pesca oceânica, mas, infelizmente, para mim é um elefante branco”, declarou.
Jerônimo Junior, que foi nomeado na semana passada como superintendente federal da Pesca e Aquicultura na Paraíba, informou que ainda está recebendo o ministério, mas adiantou que algumas adequações já estão sendo feitas no local. Sobre ceder a administração do Terminal Pesqueiro a outro órgão ou empresa, ele comunicou que a solicitação já foi repassada para o ministro, em Brasília, e está aguardando um retorno. O G1 buscou um posicionamento do Ministério da Pesca, mas a solicitação não foi atendida até o fechamento desta reportagem.

Fonte e Foto: G1-Paraíba

Aras Quatro Patas incentiva o hipismo e a equoterapia em plena orla marítima de Cabedelo

 
Convidado pelo vereador Júnior Datele, o Cabedelo na rede foi conhecer a Escola de Equitação Quatro Patas que funciona na Avenida Vitorino, s/n, Ponta de Campina em Cabedelo (em frente ao Lovina). O Aras Quatro Patas (como é chamado) desenvolve um belíssimo trabalho no incentivo do hipismo e da equoterapia com crianças, jovens e adultos, em plena área nobre da orla marítima de Cabedelo.
Segundo Linda Cavalcante, instrutora e uma das sócias da Escola de Equitação quatro Patas, um dos melhores investimentos que os pais fazem para a saúde de seus filhos, é incentivá-los a praticar atividades físicas desde os primeiros anos de vida. As crianças devem ser introduzidas ao esporte de forma prazerosa, o objetivo nessa fase é criar o gosto pela atividade sem a preocupação obsessiva com a performance, o que importa é a atividade tornar-se divertida.
Algumas crianças estão descobrindo o prazer do esporte através da Equitação recreativa realizada na Escola de Equitação Quatro Patas, crianças a partir de dois anos são estimuladas por meio de atividades lúdicas e introduzidas no esporte eqüestre que visa o enriquecimento do sistema psicomotor global das crianças, que nessa fase tem um desenvolvimento intenso devido à plasticidade do sistema nervoso, obtendo um desenvolvimento biopsicossocial.
Especialistas em atividades ao ar livre apontam que o passeio a cavalo proporciona uma gama de sensações sonoras, táteis e visuais. Por isso, é importante incentivar famílias a fazer algum esporte com seus filhos que não são motorizados e buscar a aproximação com a natureza diretamente.
“À partir dos seis anos é quando a criança tem o entendimento e a capacidade de resposta aos estímulos e comandos, iniciando assim no esporte propriamente dito. Através das aulas, as crianças aprendem o básico de montaria, e com o passar do tempo, podem direcionar seu interesse para uma modalidade em específica”. Afirma Linda Carvalho.
Estudos do Ministério do Meio Ambiente indicam: ambiente natural para caminhadas, ciclismo e equitação como experiências sustentáveis. Praticar atividade física é uma necessidade do ser humano para desenvolvimento físico e psicológico e manutenção de uma boa saúde.
Confira a seguir bons motivos para praticar Equitação:
Os movimentos trabalham toda a musculatura do corpo, além de resultar na correção postural;
dominar um animal tão grande e forte traz autoconfiança e autoestima elevada, ajudando a superar os desafios da vida;
combate a ansiedade e a depressão;
crianças e adolescentes hiperativos tem a oportunidade de descarregar a energia extra, tornando-se mais tranquilos;
desenvolve a agilidade, coordenação motora, equilíbrio e percepção;
desenvolve os cinco sentidos: a audição devido ao som das patas, o tátil por conta do pêlo e o corpo do cavalo, que tem dois graus a mais que o nosso, além do olfato e a visão.
Obs: vale salientar a importância do acompanhamento de um profissional capacitado, cavalos adequados além de um ambiente seguro.
Na foto: a aluna Sofia iniciando na prática da Equitação Recreativa e Shayene (égua) na Escola de Equitação Quatro Patas que fica localizado na AV. VITORINO, SN, PONTA DE CAMPINA – CABEDELO /PB (EM FRENTE AO LOVINA)
CONTATO: (083) 8790 6940/ 8837 4352
Edição de Texto: Aguinaldo Silva

Texto e informações: Linda Cavalcanti: Educadora Física e Instrutora de Equitação.

TCE-PB aplica multa de R$ 6.068,43 ao chefe do executivo da Prefeitura de Cabedelo por falta de transparência nos atos da gestão


De acordo com a reportagem do Jornal Correio da Paraíba desse domingo (22), publicada na página A6, a maior motivação para que o TCE-PB aplicasse multa de R$ 6.068,43 ao prefeito Leto Viana, foi a falta de transparência nos atos da gestão.
O gestor punido tem de 30 à 60 dias para recolhimento voluntário do valor da multa ou sofrerá um processo de cobrança executiva. Essa multa poderá ter ainda uma repercussão negativa quando da análise da prestação de contas anual do prefeito, onde essa irregularidade deverá ter sido sanada, sob pena de reprovação de suas contas.
Segundo o TCE-PB, a base legal para a aplicação da multa está na fiscalização que são feitas para atendimento do que determina as Leis 131/2009 (Lei de transparência) e a 12.527/2011 (acesso à informação). O prefeito tem até o fim do mês  para sanar as irregularidades  apontadas, visto que, poderá ser novamente multado, caso não o faça.
O FOCCO (Fórum Paraibano de Combate a Corrupção) está de olho nos gestores paraibanos que vem descumprindo as leis de transparência e de acesso à informação. Para os técnicos do FOCCO, a falta de divulgação e da transparência nas ações governamentais, são os primeiros indícios de que existem problemas na gestão, já que eles não desejam expor seus atos e dar o conhecimento a população do município como deveriam.
Entidades representativas da sociedade cabedelense também reclamam da transparência no legislativo municipal de Cabedelo. Elas denunciam que o maior veículo de divulgação daquele poder, o site www.camaradecabedelo.gob.br foi atualizado em novembro de2013 e há mais de três meses está sendo reformado. Uma denuncia deve ser encaminhada pela Rede de ONGs de Cabedelo, para que o tribunal analise, também, a transparência da casa legislativa da cidade.
Para a oposição, que em Cabedelo é integrada por apenas dois dos quinze vereadores, José Eudes e Fernando Sobrinho, “isso é muito complicado, pois se um gestor não age com transparência o que será de nós cidadãos para saber se ele está conduzindo nosso município com o zelo e o cuidado necessário e inerente as práticas da boa gestão pública? Esse é o questionamento que fica ao longo desse período que o referido vice-prefeito está no cargo de prefeito”. Enfatiza o vereador Fernando Sobrinho em publicação nas redes sociais.
Fernando ressalta que a falta de transparência é prejudicial ao município. “Se ele não cumpre princípios básicos da administração pública, como irá administrar bem nossa cidade? Com isso, Cabedelo continua a sofrer com tantos problemas, descasos, muitos indícios de irregularidades e problemas, que tentam encobrir”. Afirmou.

Fonte: Jornal Correio da Paraíba, dia 22/03/2015, pág. A6.


Movimentos Sociais de Cabedelo também saem em defesa do vereador Eudes e condena a violência denunciada pela oposição.

Para Bergson Marques (representante do Movimento de Reconstrução de Cabedelo, ex-vice-prefeito da cidade e ex-presidente do PTN), o gestor cabedelense dar um péssimo exemplo de convivência cívica e incentiva a violência, enquanto todos pedem paz.
Ele afirma que não somente foi agredido o vereador Eudes, mas, a população de Cabedelo. Ele sugeriu que o prefeito peça a renuncia em respeito à população. Clique eouça o que disse Bergson do MDC.
Jaêmio Carneiro, representante da Rede de ONGs de Cabedelo e porta voz da articulação SOS Cabedelo, disse que agressão a um vereador é inadmissível em qualquer democracia, lamenta os fatos ocorridos e diz que as entidades da rede criaram uma comissão para acompanhar todo processo. Clique e ouça o que disseJaêmio da Rede de ONGs.
Representando o Movimento Nacional de Luta por Moradia – MNLM, Manoel Fernandes Neto, lamentou a agressão do prefeito ao vereador, disse que o atual gestor prioriza outros interesses e não os dos cidadãos.
Ele aproveitou para criticar a política de habitação desenvolvida em Cabedelo. “O Brasil começa a re-fundar seu processo democrático, justamente para absorver a participação popular. Em Cabedelo este processo está parado, não se busca esta participação popular na criação das políticas públicas. Clique e ouça oque disse Manoel Fernandes do MNLM.
Manoel Vieira, Diretor do SINDCAB (Sindicato dos Servidores de Cabedelo), ver esse episódio com preocupação. Disse que o prefeito esta na contramão, pois enquanto os professores ensinam a não violência, o gestor maior da cidade, dar esse péssimo exemplo a juventude e a sociedade. Para ele, nada justifica a violência e um administrador público deve ter equilíbrio para resolver os problemas com um mínimo de diálogo e civilidade.
Ele aproveitou para falar sobre a paralisação e as reivindicações dos servidores. Para Manoel, o projeto de Lei Complementar 001/2015, aprovado na casa recentemente, não contempla as reivindicações dos servidores e nem foi discutido com a categoria. Clique e ouça o que disse Manoel Vieira do SINDCAB.
Texto e reportagem: Aguinaldo Silva
Fotos: Elias Martins/Internet

Dilma telefona para Ricardo Coutinho e confirma encontro com os governadores do Nordeste

 Os governadores do Nordeste vão levar à presidente Dilma Rousseff na próxima quarta-feira (25), às 16h, no Palácio do Planalto, as reivindicações prioritárias da região aprovadas durante o último Fórum de Governadores, realizado em João Pessoa, em dezembro do ano passado. A confirmação da audiência foi dada por telefone, na noite dessa quinta-feira (19), pela presidenta Dilma Rousseff ao governador Ricardo Coutinho, articulador do encontro, que está convocando os demais governadores da região.
O governador Ricardo Coutinho destacou que os governadores esperam nesta audiência obterem algumas respostas da “Carta de João Pessoa”, que pontuou as prioridades nas áreas de saúde, educação, recursos hídricos, saneamento e financiamentos para os estados com capacidade de endividamento.
Dentre as reivindicações comuns entre os governadores estão as emergências com instalação de poços e retorno dos carros pipas para os municípios, uma linha de financiamento para os estados nordestinos com capacidade de endividamento, a desoneração do Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) sobre as empresas públicas de saneamento básico e a liberação de mais recursos para a saúde e segurança pública.
“Em 1988, a União entrava com 85% do financiamento da saúde e em 2012 caiu para apenas 45%, prejudicando Estados e municípios. É preciso restabelecer o equilíbrio”, observou o governador Ricardo Coutinho.
Da Redação

Foto: Internet

Documentos provam que Aécio, Alckmin, Serra e FHC receberam R$39,9 milhões na Lava Jato

Documentos obtidos com exclusividade pelo Portal mostra envolvimento dos tucanos Aécio Neves, José Serra, Geraldo Alckmin e o ex-presidente Fernando Henrique no esquema de Furnas (Lava - Jato)
Quem pensa que o mensalão do PSDB é o único esquema de corrupção do partido que está impune, se engana. A sigla está envolvida em pelo menos outro escândalo de desvio de recursos que não foi julgado até agora, apesar de a Polícia Federal ter atestado a autenticidade do documento-chave para a denúncia.
O mensalão tucano, recorde-se, ajudou a financiar a campanha de 1998, quando Fernando Henrique Cardoso se reelegeu ao Planalto e Eduardo Azeredo, do PSDB, foi derrotado na disputa pelo governo de Minas Gerais por Itamar Franco.
Nas eleições de 2002, os tucanos promoveram outra forma de arrecadação de recursos para financiar suas campanhas e as de seus aliados. O esquema previa o repasse de dinheiro por meio de licitações superfaturadas da empresa Furnas Centrais Elétricas S.A.
Na ocasião, Aécio Neves era candidato a governador de Minas, Geraldo Alckmin concorria em São Paulo – ambos foram eleitos – e José Serra disputava com Lula o Planalto.
A chamada Lista de Furnas, como ficou conhecida a estratégia de financiamento montada pelos tucanos, rendeu milhões de reais para financiar campanhas. Denúncia da Procuradoria da República no Estado do Rio de Janeiro classifica o esquema como criminoso.
O delator do mensalão tucano, Nilton Monteiro, que também é o responsável pelo vazamento de informações sobre a lista, informou à procuradora Andréa Bayão Pereira, autora da ação do MPF, que os recursos eram controlados em um fundo (caixa 2).
A Lista de Furnas, documento de cinco páginas assinado por Dimas Fabiano Toledo, à época diretor de Planejamento, Engenharia e Construção de Furnas e operador do esquema, traz os nomes de mais de 150 políticos beneficiários, assim como uma centena de empresas financiadoras. No alto de cada folha se lê a advertência: confidencial.
“Esses recursos eram controlados em um fundo formado com valores obtidos junto às diversas empresas que mantinham contratos com Furnas” afirma Nilton Monteiro em seu depoimento à procuradora. Ele explica que os empresários que queriam atuar em Furnas tinham de contribuir com esse fundo. “Caso contrário não conseguiriam realizar nenhum contrato na empresa estatal.”
O deputado estadual Rogério Correia (PT/MG), primeiro a entregar uma cópia da Lista de Furnas à Polícia Federal, conta como o esquema funcionava. Ele obteve o xerox do documento com o delator do mensalão tucano. “Quando ele me passou a Lista de Furnas, eu tomei um susto”, relata.
O laudo da Polícia Federal atesta que o documento é autêntico. O pedido de perícia foi feito pelo parlamentar. “Na época o Nilton Monteiro, e até hoje provavelmente, não ficou satisfeito comigo. A intenção dele não era entregar [a lista] à Polícia Federal. Ele tinha aquilo para fazer suas negociações com o lado de lá”, afirma ao se referir às tentativas do delator de arrancar vantagens dos ex-aliados tucanos.
Nilton Monteiro, que trabalhou com o empresário Sérgio Naya, ex-deputado federal por Minas Gerais, operava nos bastidores da política do estado e tinha intimidade com figuras importantes do ninho tucano nas Alterosas.

Desvio de milhões de reais

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, então candidato ao cargo, o ex-governador José Serra, que disputava a Presidência da República, e o senador Aécio Neves, à época candidato ao governo de Minas Gerais, foram os principais beneficiários do esquema de corrupção milionário do PSDB.

Pela lista, Alckmin foi quem mais recebeu recursos: R$9,3 milhões, R$3,8 milhões distribuídos no primeiro turno e R$5,5 milhões repassados no segundo. Serra foi beneficiado com R$7 milhões, R$3,5 vieram no 1º turno e o restante no 2º. Aécio aparece como beneficiário de R$5,5 milhões, quantia repassada em uma única parcela. Alckmin e Aécio foram eleitos, Serra perdeu a eleição para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), e o deputado federal José Aníbal (PSDB), que disputavam uma cadeira no Senado pelo Rio e por São Paulo, respectivamente, receberam R$500 mil cada um.
Eduardo Azeredo (PSDB), ex-governador de Minas e então candidato ao Senado, recebeu R$550 mil. Já o candidato a outra vaga no Senado por Minas, Zezé Perrella (PSDB/MG), pai do deputado estadual Gustavo Perrella (SDD/MG), dono da empresa proprietária do helicóptero apreendido pela Polícia Federal, no Espírito Santo, com quase meia tonelada de cocaína, foi beneficiado com R$350 mil.
Ao lado do nome de Zezé Perrella e do montante repassado aparece a informação entre parênteses: autorização de Aécio Neves. Esse é o único caso em toda a lista em que se encontra esse tipo de anotação.
O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSDB), candidato a deputado federal à época, foi beneficiário de R$250 mil. O ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), que também disputava uma cadeira na Câmara dos Deputados, recebeu R$100 mil.
Luiz Antônio Fleury Filho, ex-governador de São Paulo, eleito na época deputado federal pelo PTB, também se beneficiou do mesmo valor. Quantia equivalente foi entregue ao filho do ex-delegado da Polícia Federal Romeu Tuma, o ex-deputado federal Robson Tuma (PTB/SP), assim como ao ex-presidente da Força Sindical e ex-deputado federal Luiz Antônio de Medeiros (PL/SP). Ao senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB/SP) foram destinados R$50 mil.
Antônio Carlos Pannunzio, eleito em 2012 prefeito de Sorocaba, aparece na lista como recebedor de R$100 mil para sua campanha a deputado federal.
O delator do “mensalão” petista, o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB/RJ), também foi beneficiado pelo esquema de corrupção tucano. Recebeu R$75 mil. Valdemar Costa Neto, condenado no “mensalão” petista, recebeu R$250 mil do PSDB por meio do desvio fraudulento de recursos. O capitão do Exército e deputado federal pelo Rio de Janeiro, Jair Bolsonaro (PP), crítico dos direitos humanos e árduo defensor da ditadura militar, foi beneficiado com R$50 mil do esquema corrupto desencadeado pelos tucanos. Andrea Neves, irmã do senador Aécio Neves, também recebeu R$695 mil, para repassar a comitês e prefeitos do interior do Estado de Minas Gerais.
O deputado Rogério Correia explica que além do laudo da Polícia Federal atestando a veracidade da Lista de Furnas, há também o relatório da Procuradoria da República no Estado do Rio de Janeiro, de janeiro de 2012, que chegou à mesma conclusão por outras vias.

Empreiteiras e bancos
As construtoras Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, Queiroz Galvão, OAS e Odebrecht são algumas das empreiteiras que financiaram o esquema de corrupção do PSDB. O Banco do Brasil, Bank Boston, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú, Opportunity e Rural são algumas das instituições financeiras que, segundo a lista assinada por Dimas Toledo, injetaram dinheiro no esquema.

A Alstom e a Siemens, envolvidas mais recentemente no esquema de superfaturamento de trens do Metrô e da CPTM comprados pelo governo tucano paulista, são citadas na lista. As agências de publicidade de Marcos Valério, DNA e SMP&B, também contribuíram.
Petrobras, Vale do Rio Doce, CSN, Mitsubishi, Pirelli, Eletropaulo, Gerdau, Mendes Júnior Siderúrgica, General Eletric e Cemig figuram entre a centena de empresas públicas e privadas que aparecem como financiadoras.
Os fundos de previdência privada dos funcionários da Petrobras, do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, respectivamente, Petros, Previ e Funcef também são mencionados. A Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, Firjan, foi outra que destinou recursos para o esquema tucano, de acordo com o documento.
O Tribunal de Contas da União analisou contratos de Furnas e detectou direcionamento em favor de determinadas empresas, além de superfaturamento nas licitações.
Uma auditoria da Controladoria Geral da União, realizada em 2006, constatou falhas no processo licitatório de Furnas: fraudes, desperdícios e abusos, além de projetos antieconômicos e inadequados às necessidades da empresa.
Mesmo com todas as evidências, o processo sobre a Lista de Furnas está parado, segundo o deputado Rogério Correia.
O esquema operado por Dimas Toledo o fazia tão poderoso que Aécio Neves, eleito governador de Minas em 2002, negociou com o então presidente Lula a permanência de Toledo na direção de Furnas.
“O que deixou a bancada do PT bastante insatisfeita, porque Dimas Toledo arquitetava tudo contra o PT, especialmente no sul de Minas”, frisa o deputado Correia.
Curiosamente, o filho de Dimas Toledo, Dimas Fabiano Toledo Jr., deputado estadual em Minas, aparece na lista como tendo recebido R$250 mil.

Gênese do “mensalão” petista
A Lista de Furnas revela financiamento “democrático”. Embora organizada por gente ligada ao PSDB, irrigou as campanhas de uma ampla base de políticos, de vários partidos. Em tese, seriam aqueles que dariam sustentação parlamentar a um eventual governo de José Serra, não tivesse o paulista sido derrotado por Lula em 2002.

Apesar da derrota de Serra, Alckmin e Aécio se elegeram governadores, garantindo a influência política dos tucanos em dois estados-chave da federação.
A “democracia” na hora de destinar verbas de campanha, expressa na Lista de Furnas, não era exatamente uma novidade nos esquemas de Minas Gerais.
Em 1998, mais de 30 candidatos do Partido dos Trabalhadores no estado foram beneficiados com recursos do outro esquema do PSDB, o “mensalão tucano” – que a mídia corporativa já chamou de “mensalão mineiro”.
Relatório da Polícia Federal, de 172 páginas, sobre o mensalão do PSDB aponta que os candidatos do PT receberam R$880 mil pelo esquema.
Rogério Correia é contundente na crítica aos colegas de partido. “Pra acertar contas de campanha, receberam recursos de Eduardo Azeredo, já no esquema do mensalão. Isso teria sido negociado via Walfrido dos Mares Guia… Achei isso lamentável. O PT já começava naquela época a ter uma relação com a instituição onde se confundia com as artimanhas que a institucionalidade coloca, com o cretinismo da institucionalidade”, alfineta.
Para Correia, o PT acreditou que a impunidade que existia para o PSDB iria existir também para o partido. “Isso é uma ilusão. A palavra melhor é ilusão de classes… O PT ‘quebrou a cara’ por uma visão errada do ponto de vista ideológico de setores do partido que acham que a luta de classes acabou… Isso é uma ilusão terrível que tem dentro do PT”, fustiga.
Pela semelhança entre o esquema do assim chamado “mensalão tucano” e o que seria revelado mais tarde, envolvendo o PT, Rogério Correia critica a atuação tanto do Supremo Tribunal Federal, quanto do Ministério Público Federal.
As duas instituições, diz o deputado, deram tratamento diferenciado aos partidos envolvidos. Rogério Correia exemplifica com o caso do publicitário Marcos Valério. No “mensalão” petista, foi julgado em Brasília, apesar de não ter mandato e, portanto, foro privilegiado. O julgamento conjunto teria facilitado a apresentação da tese de uma grande conspiração para comprar apoio político no Congresso, possibilitando assim condenar um número maior de réus, inclusive os acusados de liderarem o esquema: o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, o ex-presidente do PT José Genoíno e o ex-tesoureiro do partido Delúbio Soares.
Já no mensalão tucano o tratamento dispensado a Valério foi muito diferente. O absurdo maior é que, segundo Rogério Correia, Valério trabalhou ao mesmo tempo para os dois partidos.
“Operava para o PSDB em Minas e para o PT nacionalmente. O mesmo esquema de caixa dois era usado pelos dois partidos. Olha o absurdo”, afirma.
A opção ideológica do Supremo Tribunal Federal e do Ministério Público Federal é, na opinião de Rogério Correia, o fator que impediu a apreciação do relatório assinado pelo delegado da Polícia Federal Luís Flávio Zampronha de Oliveira, que investigou o mensalão tucano.
O relatório oferece, segundo Correia, provas muito mais contundentes de que, no caso do PSDB, houve uso de dinheiro público para financiar campanhas eleitorais.
O dinheiro saia de estatais mineiras como a empresa de energia Cemig e a de saneamento Copasa.
No “mensalão” petista até hoje se discute se o dinheiro da Visanet, que teria abastecido o esquema, era público ou privado.
Pior que isso foi o tratamento desigual para iguais.
No caso dos tucanos, o processo foi desmembrado. Os políticos que receberam dinheiro do esquema escaparam. Considerou-se que eram beneficiários de caixa dois.
Ficaram para julgamento em Brasília apenas os operadores que tinham foro privilegiado, dentre eles o ex-presidente do PSDB e hoje senador Eduardo Azeredo, que aguarda julgamento.
Também foram denunciados na capital federal o ex-vice governador de Minas e hoje senador, Clésio Andrade, e o ex-ministro do governo Lula Walfrido Mares Guia, que deve ser beneficiado por prescrição por causa da idade.
Rogério Correia refuta a expressão “mensalão”, cunhada por Roberto Jefferson, delator do esquema petista.
Para o deputado mineiro, os dois esquemas envolveram caixa dois para sustentação de campanhas eleitorais – e não para a compra de votos.
“Também eles [base aliada do PSDB] votavam com o governo, sempre votaram com o Azeredo, na Assembleia Legislativa, e com o Fernando Henrique, na Câmara Federal, como é o caso do Aécio Neves. Se é pra dizer que era compra de votos, todos seriam…”, ressalta.
Ele não nutre expectativa em relação à punição de políticos do PSDB.
Lembra que o ex-presidente da Câmara, deputado federal João Paulo Cunha (PT/SP) foi condenado pelo STF tendo como principal prova o fato de que a mulher do parlamentar fez um saque em dinheiro na boca do caixa; já políticos do PSDB que receberam dinheiro do mensalão tucano diretamente em suas contas, com comprovantes de depósito e tudo, ficaram livres do processo.

***
A seguir, os nomes da Lista de Furnas

Furnas_Lista05_Nomes                           
                          
                 
Furnas_Lista06_Nomes
                                           Furnas_Lista07_Nomes
                                            Furnas_Lista06_Nomes
                                           Furnas_Lista07_Nomes
                                              Furnas_Lista08_Nomes



Confira o artigo original no Portal Metrópole: http://www.portalmetropole.com/2015/03/documentos-provam-que-aecio-alckmin.html#ixzz3V5icG7c2

Ex-vereadores de Cabedelo criticam a tentativa de censura a oposição e saem em defesa do vereador Eudes-PP

Para Fernando Macedo, Roberto de Melo e Wellington Brito, a oposição é necessária para a democracia, tem a prerrogativa de fiscalizar e imunidade para denunciar.
Os ex vereadores: Fernando Macedo, Roberto de Melo e Wellington Brito, saem em defesa do Vereador Eudes em face ao últimos acontecimentos políticos na cidade portuária paraibana.
Para o ex-vereador Fernando Macedo que preside o Democratas na cidade portuária afirma que o ex-vereador e atual prefeito Leto nunca foi oposição, por isso não tolera a oposição. Fernando insinua que todas as articulações políticas maléficas a cidade de Cabedelo teria sido protagonizada por Leto enquanto vereador.
Para Roberto de Melo que também foi vereador na cidade, a oposição é necessária. Para ele, não somente Eudes foi agredido, mas, o legislativo e a democracia.
Já o ex-vereador e candidato do PSB a prefeitura local na eleição passada, a oposição é o outro lado da democracia. Brito concorreu com Luceninha na eleição de 2014.

Texto: Aguinaldo Silva. 

Dois pedidos de cassação de mandato foram protocolados na Câmara Municipal de Cabedelo na sessão desta quinta-feira (19/03

Dois pedidos de cassação de mandato foram protocolados e lidos na sessão desta quinta-feira (19/03) na Câmara Municipal de Cabedelo. O vereador Eudes (PP) deu entrada no pedido de afastamento do Prefeito Leto Viana pelas supostas agressões, seguida de tentativa de morte, feitas pelo chefe do executivo cabedelense, ao vereador de oposição José Eudes, nas dependências da Câmara Municipal da cidade portuária paraibana.
Em contra partida, o PROS que integra o governo do prefeito Leto Viana (PTN), por intermédio de sua executiva que, em Cabedelo é presidido pelo ex-candidato a deputado estadual, Janderson Brito, pediu a cassação do vereador Eudes (PP) por falta de decoro parlamentar.
Segundo o documento o vereador teria proferido inverdades contra as ações parlamentares dos subscritores, mormente quanto a votação do Projeto de Lei Complementar 001/2015, que versa sobre o aumento do magistério, alegando que os vereadores que fazem parte da bancada do prefeito teriam votado contra os professores.
Os vereadores da base do prefeito na câmara também acusa o vereador Eudes de macular a honra da primeira dama, vereadora Jaqueline Monteiro (PRTB), com denuncias infundadas.
Os pedidos foram lidos em plenário e serão encaminhados para analises do conselho de ética que é presidido pelo vereador Rosivandro Viana (PT).
Segundo o vereador Lucas Santino (PHS) Presidente da Câmara, se essa for a vontade emanadas do plenário, os pedidos serão analisados e seguirão os tramites legais e regimentais, dando as partes a devida oportunidade de defesa e só após o parecer do Conselho de Ética da casa, voltará ao plenário para decisão.
Perguntado se estava presente e acompanhou as agressões do prefeito ao vereador de oposição como foi amplamente divulgado, Lucas Santino informou que, devido sua condição de presidente da casa, deve se posicionar somente em juízo quando for arrolado.
A sessão foi interrompida por um cidadão embriagado que invadiu o plenário fazendo com que o presidente encerrasse a sessão e determinasse a segurança, a retirada do mesmo.
Texto e Reportagem: Aguinaldo Silva
Foto: Elias Martins/Internet

Servidores da saúde e educação de Cabedelo decidem pela manutenção da greve e promete manifestação para esta sexta-feira (20/03)

Os servidores da prefeitura de Cabedelo, precisamente os profissionais da saúde e da educação em greve no município, fizeram assembléia nesta quinta-feita, descidem pela manutenção da mesma e mobilizam a categoria para uma manifestação nesta sexta-feira 20/03.
Segundo a diretoria do sindicato, a concentração acontece as 14:00 horas, em frente a secretaria municipal da educação.
Os servidores em greve reivindicam a efetivação dos PCCRs e a equiparação com o piso nacional na conformidade da lei aprovada, retroativo a 1º de janeiro. Eles prometem fazer arrastão para pressionar o prefeito a atender o que determina a Lei.
Por sua vez, a prefeitura informa não dispor de condições para atender a categoria no momento, culpa os cortes feitos no repasse do governo federal e propõe reajuste escalonado, o que não foi aceito pelos servidores em greve.
Texto: Aguinaldo Silva

Foto: internet

Em Cabedelo a Rede de ONGs designa comissão para acompanhar processo sobre agressão do prefeito ao vereador Jose Eudes

A Rede de ONGs SOS Cabedelo designou ontem uma comissão composta pelo Professor, Jaêmio Carneiro, a Bacharel em Direito, Claudia Rute Braga, e a militante de Direitos Humanos, pertencente a Rede SOS Mulher, a professora Nível Maria para acompanhar o desenrolar dos acontecimentos relacionados ao o fato mais estarrecedor deste ano, a agressão do prefeito Leto Viana ao vereador José Eudes, que segundo alguns meios de Comunicação teria apenas cumprido sua prerrogativa constitucional, ou seja, fiscalizar, denunciar e propor ações que permitam a melhoria do Município de Cabedelo.
A comissão participou da coletiva a imprensa do Estado concedida pelo vereador José Eudes no Cabedelo Clube para explicar a agressão sofrida e entregar aos meios de comunicação cópia do áudio que prova a agressão física e moral.
Fonte: Reproduzido da Equipe Digital do Blog Cabedelo e a Verdade

Foto: Internet

Câmara de Cabedelo deve analisar pedido de afastamento do prefeito Leto Viana e movimentos sociais vão as ruas pedir sua cassação.

Tal qual Dilma Rousseff, o Prefeito de Cabedelo Leto Viana, poderá mergulhar numa crise política sem precedente na cidade portuária paraibana. É que seguindo o exemplo do então governador Ronaldo Cunha Lima que, em nome da família, vitimou seu oponente o ex-governador Tarcisio Burity para defender seu filho. Leto Viana, teria agredido o vereador Eudes Souza do PROS, para defender esposa e filho, das denuncias de recebimentos indevidos de valores públicos, feitas pelo edil.
Segundo o parlamentar, a também vereadora e esposa do chefe do executivo, Jaqueline Viana, acumula cargos indevidamente na gestão municipal. Além disso, seu filho recebe sem trabalhar R$ 10.000,00 mensais como subsecretário da gestão. De acordo com a denuncia da oposição, a família leto, recebe mensalmente dos cofres públicos, cerca de R$ 50.000,00 e parte deste montante, estaria sendo paga sem a devida prestação de serviço.
Ao ser informado das denuncias feitas na tribuna da casa pelo parlamentar, o prefeito teria ficado furioso e procurou o presidente da câmara afim de marcar uma reunião com o vereador para esclarecer o assunto de uma vez por todas. “Fui atraído para uma emboscada” afirmou Eudes. De acordo com o parlamentar, Leto teria lhe ameaçado de morte e agredido fisicamente. “Mexa comigo mais não envolva meu filho e minha esposa em seus discursos, assim terás um inimigo e eu não responderei por mim” bradou o prefeito no áudio a ele atribuído.
Ao afirmar que apenas estaria cumprindo o seu dever de fiscalizar e que todos os servidores seriam iguais em sua análise, o vereador teria sido surpreendido com tapas e pontapés do prefeito praticante de artes marciais, Leto Viana (PTN).
O fato lamentável aconteceu nas dependências do anexo da Câmara e teria sido presenciado pelo vereador Lucas Santino Presidente da casa. “Lucas agarrou ele para não me matar pois o mesmo já buscava a arma de um de seus seguranças para me atingir” denuncia Eudes.
Em um primeiro momento usando sua página no facebook o prefeito afirmou que teria passado toda a manhã despachando em seu gabinete e apenas se ausentou para reunir-se com o presidente da Câmara Lucas Santino, regressando ao seu local de trabalho após a conversa.
“Desconheço e desautorizo o uso do meu nome em qualquer assunto relacionado à posturas não condizentes com a realidade e o meu modo de ser. Não posso tolerar que o trabalho que venho exercendo na Prefeitura de Cabedelo seja maculado por mentiras e boatos e vamos sempre combater com trabalho, se necessário procurando a justiça, as forças obscuras que tentam plantar retrocesso enquanto o povo de Cabedelo vê progresso” escreveu Leto na rede social.
Após emitir uma nota afirmando que não tinha discutido e tampouco se encontrado com o vereador José Eudes (PP), na última sexta-feira (13) e depois de tomar conhecimento da existência do áudio, o prefeito voltou atrás e admitiu a discussão com o parlamentar, no entanto, negou a existência de agressões físicas.
Segundo o procurador do município, Antônio do Vale, o comportamento descrito pelo vereador não condiz com a conduta política do prefeito. Para ele, o único objetivo do vereador seria criar uma cilada para o gestor. "Um vereador que vai a uma reunião com o presidente da Câmara com um gravador ligado pra tentar criar um cenário, uma armadilha, que incrimine o prefeito, para dizer que o prefeito teria feito ameaças de morte ou agressão, só pode ser uma cilada”, disse o procurador.
“Vamos interpelar judicialmente para que comprove, porque em nenhum momento houve este fato e ele não pode ficar espalhando inverdades contra o prefeito”, finalizou Antônio do Vale.
Além da imprensa, lideranças políticas, sócias e comunitárias de cabedelo compareceram na entrevista coletiva do vereador Eudes na manhã desta segunda 16/03. Representante do SindCab, da Rede SOS Cabedelo, AMI, MNLM, Movimento de Reconstrução de Cabedelo, entre outras entidades, usaram da palavra para repudiar a atitude do prefeito.
 "Não vou me calar. Continuarei denunciando as safadezas, imundices, falcatruas e nepotismo do prefeito Leto Viana" garante Eudes. O vereador revelou que prestou queixa na Delegacia de Polícia e vai pedir seu afastamento na sessão desta terça-feira 17/03. O edil ainda duvidou da renúncia do ex-prefeito Luceninha afirmando que "Foi tudo armação para Leto assumir o cargo", disparou.
As entidades articulam uma movimentação para pressionar os vereadores a apurarem as denuncias e ameaça convocar o povo pra rua e engrossarem o cordão dos professores e profissionais da saúde, em greve no município. Uma CPI poderá ser requerida para apurar a renuncia do ex-prefeito e as denuncias da oposição.
Edição de texto: Aguinaldo Silva
Fotos: Elias Martins
Veja a íntegra da segunda nota do prefeito postada em sua conta na rede social, onde fez a seguinte declaração:
“Nesta segunda-feira (16), foi veiculado um áudio, através do vereador Eudes Souza, que em nada condiz com a verdade. Nele, estão ataques sofridos por mim e por minha família, instituição sagrada que não permitirei que seja maculada por calúnias e ataques com propósitos eleitoreiros.
Quem me conhece sabe que sempre fui defensor do bom debate, fundamental para o exercício pleno da democracia. Acredito e defendo o diálogo como a melhor forma (e talvez única) de se chegar a um entendimento pleno e pacifico.
Diante dos fatos ocorridos hoje, não me resta outra alternativa a não ser acionar juridicamente, mais uma vez, o vereador Eudes, para que responda às inverdades que vem divulgando na Justiça.
O parlamentar, aliás, em muito foge à sua responsabilidade, que é a de fiscalizar o Poder Executivo, quando age de forma tão imprópria, atacando meus entes queridos, já que não consegue atingir-me enquanto gestor, que zela e trabalha pelo desenvolvimento de nossa Cabedelo.
Nossa administração, desde o seu início, vem sendo pautada pela transparência nas ações e pela responsabilidade com o que é público. Na ânsia por tentar desmerecê-la e já sem argumentos para criticar nossa gestão, o parlamentar, então, desfere calúnias à minha família, plantando notícias e denúncias infundadas e que não pode provar.
Ao longo de minha trajetória como homem público, sempre tive uma postura pautada na moralidade, na ética e no respeito ao Poder Legislativo e aos demais Poderes que gerem nosso município. Sempre me portei, sobretudo, ao lado da verdade e da transparência: de minhas ações e de minhas palavras.
E essa verdade que me faz vir a público novamente rebater e lamentar o nível das calúnias ditas pelo vereador Eudes.
Mas, mais do que tudo, quero agradecer ao carinho e ao apoio que recebi nas redes socais e pessoalmente. Agradecer à solidariedade e aos sentimentos voltados a mim e à minha família. Agradecer a confiança e o respeito.
Por fim, quero reiterar meu compromisso com a verdade, com o trabalho e com a vontade de fazer nossa Cabedelo se desenvolver ainda mais, buscando melhorar a qualidade de vida que o nosso povo tanto merece. E continuaremos fazendo isso com respeito, com ética e com a transparência que é necessária à uma boa gestão.
Leto Viana

Prefeito e cidadão do município Cabedelo

Gostou do que leu? Comente. Compartilhe. Divulgue

RENASCER EM NOTÍCIA

Minha foto

AGUINALDO SILVA - Radialista Profissional - 2.913 DRT-PB, 46 anos, servidor publico, natural de Mulungú-PB, radicado em Cabedelo-PB desde 1988, divorciado, pai de um casal de filho, produtor e ativista cultural, socialista por convicção, militante social, cultural e político em Cabedelo,  blogueiro, escreve no site www.cabedelonarede.com.br e no blog www.renasceremnoticia.blogspot.com
Ama os seres humanos e detesta a desigualdade social. "Se voce é capáz de se indignar com o sofrimento de seu semelhante, somos amigos" Frase de Che Guevara que tem como moldura em sua vida.
Atualmente trabalha na Casa da Cidadania de Cabedelo e busca ativar o movimento cultural do Renascer e interligar em rede, o terceiro setor de Cabedelo.
 
Site: Cabedelo Na Rede : Click aqui Copyright © 2011. Renascer em Notícia - Editado por Rhicardho
Proudly powered by Blogger