Paleontólogos confirmam que fóssil encontrado em Sousa pode ser de dinossauro carnívoro

Um osso fossilizado encontrado no Sertão da Paraíba foi levado por cientistas da Universidade Federal de Pernambuco, em Recife. O material de aproximadamente 50 centímetros foi encontrado no mês passado, encravado em uma rocha sedimentar no município de Sousa (na região do Alto Sertão paraibano, a 427 quilômetros de João Pessoa).
O fóssil está sendo examinado por uma equipe formada por paleontólogos, biólogos e geólogos no laboratório de paleontologia da Universidade Federal de Pernambuco. Em princípio, os pesquisadores informaram que trata-se de uma tíbia que pode ser das espécies terópode ou ornitópode.
Os terópodes eram dinossauros carnívoros bípedes. Deixavam no solo, em geral, apenas as marcas dos três dedos centrais dos pés. Os dedos eram longos e tinham garras afiadas.
As pegadas tridáctilas (com três marcas de dedos), que fossilizaram são, por isto, normalmente mais longas do que largas e as marcas dos dedos são pontiagudas.
Além dos carnívoros, haviam os bípedes herbívoros. Eram os ornitópodes que deixavam, em geral, marcas dos três dedos centrais dos pés. Esses dedos eram curtos e largos e terminavam com garras arredondadas. Sabe-se que podiam se deslocar, igualmente, de modo quadrúpede, quando necessitavam, porque em algumas pistas muito bem conservadas foram descobertas pequenas marcas dos dedos das mãos à frente das marcas dos pés. 
O osso encontrado no município de Sousa será retirado da rocha, descrito, fotografado e comparado com outros já conhecidos na tentativa de classifica-lo. A partir do reconhecimento da forma, poderá ser feita a reconstrução do animal e de seus hábitos.
Os estudos são feitos na UFPE, mas o fóssil será trazido de volta à Sousa, onde ficará exposto no museu da cidade que já abriga o parque conhecido como Vale dos Dinossauros, o sítio paleontológico que registra a maior incidência de pegadas de dinossauros do planeta.
O Vale dos Dinossauros possui pegadas fossilizadas de mais de 80 espécies diferentes que variam entre cinco e 40 centímetros de comprimento. A maioria das espécies descobertas no Vale é de dinossauros carnívoros.
O fóssil da tíbia foi descoberto por um bancário aposentado que mora em Sousa. Luís Carlos da Silva Gomes é um curioso e admirador dos achados sobre dinossauros da bacia sedimentar do Rio do Peixe, que fica no oeste da Paraíba, no chamado Alto Sertão do estado.
Ele tem o hábito de procurar por materiais referentes aos animais pré-históricos e resgatar a história do sítio paleontológico encravado no Sertão da Paraíba.

Fonte e foto: Folha do Sertão/Saullo Dannylck
Compartilhe este artigo :

Gostou do que leu? Comente. Compartilhe. Divulgue

RENASCER EM NOTÍCIA

Minha foto

AGUINALDO SILVA - Radialista Profissional - 2.913 DRT-PB, 46 anos, servidor publico, natural de Mulungú-PB, radicado em Cabedelo-PB desde 1988, divorciado, pai de um casal de filho, produtor e ativista cultural, socialista por convicção, militante social, cultural e político em Cabedelo,  blogueiro, escreve no site www.cabedelonarede.com.br e no blog www.renasceremnoticia.blogspot.com
Ama os seres humanos e detesta a desigualdade social. "Se voce é capáz de se indignar com o sofrimento de seu semelhante, somos amigos" Frase de Che Guevara que tem como moldura em sua vida.
Atualmente trabalha na Casa da Cidadania de Cabedelo e busca ativar o movimento cultural do Renascer e interligar em rede, o terceiro setor de Cabedelo.
 
Site: Cabedelo Na Rede : Click aqui Copyright © 2011. Renascer em Notícia - Editado por Rhicardho
Proudly powered by Blogger