ACICA pede alternativa energética para cimenteiras da PB e reclama da ‘matriz suja’ (petcoke) em Cabedelo

O Secretário Executivo da Associação Cabedelense para a Cidadania (ACICA) e fundador do projeto ‘Observatório Social’ da UFPB, Ernesto Batista, reclamou do uso de Petcoke como combustível para a indústria cimenteira na Paraíba e pediu que sejam buscadas soluções que não agridam ao meio ambiente.
Em entrevista à Rádio CBN João Pessoa, Ernestinho destacou que é preciso haver um melhor manuseio e descarte dos resíduos de Petcoke. Ele apontou que pelo fato de a matéria prima custar 17% menos que qualquer combustível, dá a visão de que é algo que traz benefício econômico, contudo aponta que o produto traz muitos danos sociais e ambientais.
Batista explicou que com o aumento das fábricas, foi sendo necessária a aquisição de mais Petcoke e com isso foi pedido mais área que se estendia no sentido Praia do Jacaré e o produto era depositado na beira da praia. Ele comentou que só foi removido e colocado no mangue onde hoje está após reclamação da iniciativa privada.
“Defendemos que se é para trazer esse tipo de produto para o nosso porto que seja trazido com investimento. A descarga do navio feita por veículo fechado e transportado por via férrea ou construída uma estrada. Que o Petcoke seja armazenado no pátio da cimenteira ou criada uma alternativa energética. O Coke é muito mais barato que qualquer combustível, mas o custo social e ambiental é muito forte. Achamos que existem outras soluções”, diz.
O representante da ACICA questiona o porquê de a Paraíba não ser como os países de primeiro mundo que usam gás, até porque o estado tem uma empresa de gás. Ele reclama da matriz energética suja e dos danos causados ao meio ambiente e a saúde da população.
Os defensores da permanência do produto na cidade portuária paraibana, afirmam que as preocupações do dirigente da ACICA não têm justificativas, uma vez que, existe por parte da empresa armazenadora do produto, uma total preocupação para com o meio ambiente, fazendo inclusive, analises constates do nível de poluição e limpeza da área. E, quanto a saúde da população, segundo eles, em todo esse tempo de operação com o produto em Cabedelo, nunca, jamais, um trabalhador ou morador da área utilizada, foi hospitalizado em virtude do manuseio ou por residir próximo ao local de armazenamento do produto que chamam carinhosamente de “petcoke verde”.  
A íntegra da entrevista do dirigente da ACICA pode ser acessada clicando AQUI

Edição de texto: Aguinaldo Silva com Marília Domingues
Compartilhe este artigo :

Gostou do que leu? Comente. Compartilhe. Divulgue

RENASCER EM NOTÍCIA

Minha foto

AGUINALDO SILVA - Radialista Profissional - 2.913 DRT-PB, 46 anos, servidor publico, natural de Mulungú-PB, radicado em Cabedelo-PB desde 1988, divorciado, pai de um casal de filho, produtor e ativista cultural, socialista por convicção, militante social, cultural e político em Cabedelo,  blogueiro, escreve no site www.cabedelonarede.com.br e no blog www.renasceremnoticia.blogspot.com
Ama os seres humanos e detesta a desigualdade social. "Se voce é capáz de se indignar com o sofrimento de seu semelhante, somos amigos" Frase de Che Guevara que tem como moldura em sua vida.
Atualmente trabalha na Casa da Cidadania de Cabedelo e busca ativar o movimento cultural do Renascer e interligar em rede, o terceiro setor de Cabedelo.
 
Site: Cabedelo Na Rede : Click aqui Copyright © 2011. Renascer em Notícia - Editado por Rhicardho
Proudly powered by Blogger