População aplaude Zilda Arns em cortejo até o cemitério

Milhares de pessoas visitaram a médica sanitarista durante velório.
Enterro ocorre no Cemitério da Água Verde, em Curitiba.
Glauco Araújo Do G1, em Curitiba
Tamanho da letra

Pessoas acompanham missa após velório de Zilda Arns em um telão instalado no lado de fora do Palácio das Araucárias. (Foto: Glauco Araújo/G1)

Sob aplausos de centenas de pessoas, o corpo de Zilda Arns deixou o Palácio das Araucárias, onde foi velado, em Curitiba (PR), em cortejo até o Cemitério da Água Verde na tarde deste sábado (16).

Cerca de 300 pessoas aguardaram na rua e acompanharam em uma telão a missa fechada à parentes e amigos, segundo a Polícia Militar. Outras 80 acompanharam a cerimônia na sede da Pastoral da Criança da cidade.

A missa, celebrada por Dom Geraldo Lírio, presidente da CNBB, foi encerrada por volta das 15h30. Dom Geraldo leu uma mensagem de Dom Paulo Evaristo Arns, arcebispo de São Paulo e irmão de Zilda Arns.

"Quanto mais medito sobre a vida de Zilda Arns Neumann e seu trabalho em favor das crianças e mãe pobres, me convenço que a esperança nasce com a pessoa humana e se realiza plenamente em Deus", disse Dom Paulo.


Foto: Glauco Araújo/G1

Corpo de Zilda Arns é levado sob aplausos até o caminhão do Corpo de Bombeiros. (Foto: Glauco Araújo/G1)


Foto: Glauro Araújo/G1

Corpo de Zilda Arns é levado em carro aberto ao cemitério. (Foto: Glauro Araújo/G1)

Milhares de pessoas se despediram da médica sanitarista e coordenadora internacional da Pastoral da Criança durante a sexta-feira (15) e a madrugada de sábado. Muitos fizeram o trajeto rezando em voz alta, formando um coro de oração. A médica morreu durante o terremoto no Haiti, após ser atingida por escombros quando fazia uma palestra, na terça-feira (12).

Relembre a trajetória de Zilda Arns
Terremoto no Haiti: cobertura completa

Na noite de sexta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, segundo a Pastoral da Criança, que vai pedir o prêmio Nobel da Paz 'pós-mortem' para a Zilda Arns. Ele anunciou também que vai criar um prêmio nacional com o nome dela para premiar pessoas envolvidas com ações de segurança alimentar no país.

O presidente esteve reunido com a família de Zilda por cerca de 45 minutos, quando prestou condolências. Depois, conversou reservadamente com o governador do Paraná Roberto Requião. Ele esteve acompanhado pelos ministros Dilma Roussef e Alexandre Padilha, além dos senadores Suplicy e Ideli Salvatti.

Visitantes fizeram coro de oração durante despedida a ZIlda Arns na madrugada de sábado (Foto: Glauco Araújo/G1)

"Eu disse à família que todos vão chorar pelo que aconteceu, mas o que a Zilda pregou durante a vida dela, eu espero que tenha ficado gravado na mente das pessoas. E que todos nós sejamos mais solidários", afirmou o presidente.

Para Lula, a médica brasileira transformou sua vida em uma luta constante pela qualidade de vida de idosos, crianças e pessoas carentes. “Se fechássemos os olhos e imaginássemos uma pessoa, a Zilda seria um exemplo muito grande para o mundo e para o Brasil. Ela morreu no momento mais sagrado da vida dela, que era a visita aos pobres pelo mundo”, afirmou o presidente.
Compartilhe este artigo :

Gostou do que leu? Comente. Compartilhe. Divulgue

RENASCER EM NOTÍCIA

Minha foto

AGUINALDO SILVA - Radialista Profissional - 2.913 DRT-PB, 46 anos, servidor publico, natural de Mulungú-PB, radicado em Cabedelo-PB desde 1988, divorciado, pai de um casal de filho, produtor e ativista cultural, socialista por convicção, militante social, cultural e político em Cabedelo,  blogueiro, escreve no site www.cabedelonarede.com.br e no blog www.renasceremnoticia.blogspot.com
Ama os seres humanos e detesta a desigualdade social. "Se voce é capáz de se indignar com o sofrimento de seu semelhante, somos amigos" Frase de Che Guevara que tem como moldura em sua vida.
Atualmente trabalha na Casa da Cidadania de Cabedelo e busca ativar o movimento cultural do Renascer e interligar em rede, o terceiro setor de Cabedelo.
 
Site: Cabedelo Na Rede : Click aqui Copyright © 2011. Renascer em Notícia - Editado por Rhicardho
Proudly powered by Blogger