Juíza restitui presidente do BC ao cargo na Argentina

Decisão suspendeu decreto de urgência de Cristina Kirchner.
Oposição argumentava que só Congresso poderia demitir Redrado.
Do G1, em São Paulo
Tamanho da letra

Martín Redrado, presidente do BC argentino, sai da sede do órgão na madrugada desta sexta (8) após decreto que o demitiu (Foto: AP)

A juíza María José Sarmiento suspendeu nesta sexta-feira (8) o decreto que exonerou o presidente do Banco Central da Argentina, Martín Redrado, de acordo com o centro de informações judiciais do país.

O funcionário tinha sido demitido por um decreto de urgência assinado pela presidente Cristina Kirchner e seu gabinete (todos os ministros) nesta quinta-feira (7), pois se recusava a usar US$ 6 bilhões em reservas em moeda estrangeira para pagar dívidas soberanas da Argentina em 2010.

Segundo a imprensa local, Redrado voltou imediatamente à sede do BC depois da decisão da juíza. Na manhã desta sexta, ao sair de casa, Redrado havia dito que "as reservas são de todos os argentinos e se quiserem dar a elas algum destino alternativo, o tema deve passar pelo Congresso", segundo o jornal "La Nación".

A presidência do BC era ocupada desde a demissão de Redrado pelo vice-presidente do BC, Miguel Ángel Pesce.

O Banco Central argentino é independente e o seu presidente só poderia ser exonerado pelo Congresso, que está em recesso.

Para a oposição, Kirchner deveria ter convocado uma sessão extraordinária do Congresso. A presidente argumentou que Redrado foi demitido por "má conduta", mas, segundo juristas argentinos, mesmo nesse caso o decreto presidencial teria que ter anuência prévia de uma comissão de senadores.



Bloqueio
Mais cedo nesta sexta-feira, Sarmiento havia emitido uma medida cautelar que impedia o uso das reservas para pagar a dívida pública.

A juíza suspendeu a aplicação do decreto presidencial que cria o Fundo do Bicentenário, formado por US$ 6,5 bilhões das reservas do BC, destinado ao cumprimento dos compromissos financeiros do governo em 2010.

O pedido de medida cautelar foi apresentado por duas ações de partidos de oposição: uma da União Cívica Radical (UCR) e outra da Coalizão Cívica junto com o Proposta Republicana (Pro).

Com informações da EFE, da France Presse e da Reuters
Compartilhe este artigo :

Gostou do que leu? Comente. Compartilhe. Divulgue

RENASCER EM NOTÍCIA

Minha foto

AGUINALDO SILVA - Radialista Profissional - 2.913 DRT-PB, 46 anos, servidor publico, natural de Mulungú-PB, radicado em Cabedelo-PB desde 1988, divorciado, pai de um casal de filho, produtor e ativista cultural, socialista por convicção, militante social, cultural e político em Cabedelo,  blogueiro, escreve no site www.cabedelonarede.com.br e no blog www.renasceremnoticia.blogspot.com
Ama os seres humanos e detesta a desigualdade social. "Se voce é capáz de se indignar com o sofrimento de seu semelhante, somos amigos" Frase de Che Guevara que tem como moldura em sua vida.
Atualmente trabalha na Casa da Cidadania de Cabedelo e busca ativar o movimento cultural do Renascer e interligar em rede, o terceiro setor de Cabedelo.
 
Site: Cabedelo Na Rede : Click aqui Copyright © 2011. Renascer em Notícia - Editado por Rhicardho
Proudly powered by Blogger